quarta-feira, 17 de dezembro de 2008

Caro Noel

Caro Noel, resolvi escrever essa carta não só pelos pedidos, mas também por que esse ano foi um ano diferente, mais diferente do que o normal, e você precisa saber, é claro.
Esse ano eu fui o meio termo, muito mais do que era antes. Fui bom. Fui ruim.
E só deixei a situação sair do controle na frente de quem realmente conseguiria agüentar. O mais diferente desse ano foi que... Antes eu sempre guardava minha raiva para não discutir, mas chegava uma hora em que eu tinha que colocar pra fora. Mas eu explodia com quem estava envolvido, já esse ano fiz diferente. Dessa vez continuei guardando, mas fui covarde. Não falei o que eu tinha para falar para quem tinha que ouvir dessa vez eu simplesmente resolvi não discutir, não explodir para algumas pessoas. E o porquê, não importa mais. Mas agora quem tiver que ouvir algo de mim, provavelmente ouvirá. Outro fato importante desse ano, meu bom velhinho, é que eu passei de uma fase, e só há pouco tempo percebi. Meus amigos, amigos mesmo, continuaram os mesmos, e os outros... Bom, não sei mais, porque foram embora, assim como eu fui. Esse ano foi um ano de provações, e provocações também. Fiz algumas coisas que eu nunca tinha pensado em fazer, e isso é bom porque algumas coisas nos enobrecem. Também esse ano chorei por alguém, outra coisa que eu (sinceramente) não considerava algo provável de acontecer. É engraçado pensar nisso agora pelo fato que eu nunca me considerei frio, mas antes se eu visse alguém passando na rua chorando (coisa que já vi algumas vezes) eu pensava “foi demitido”, e hoje penso “pois é mais alguém levou uma bota” hahaha. Enfim Noel... Aprendi coisas suficientes por um ano, mas não muito. Contudo, fui um bom garoto, por isso... EXIJO meus presentes hahaha
Minhas recompensas.
Obrigado Noel, e anda logo!
PS: Os textos de "Andrea" não são meus, bjs

sábado, 13 de dezembro de 2008


Preciso de alguma inspiração..

sábado, 6 de dezembro de 2008

Andrea 6

Adeus Andrea
Andrea, esta é a minha última carta. Pelo menos a última que escrevo pra você.
Só pra constar o quanto eu devo ter te amado, minha querida. Devo ter, pois não sei ao certo o que sentia quando dizia que te amava.Finalmente. Posso afirmar com clareza tudo o que mais desejei enquanto estive ao seu lado. Suas meias e as torradas com geléia de morango. Suas meias ficam marcadas nos tênis ficam tão marcados nas meias quantos os meus. Ficam tão coloridas quanto às cores do tênis, o que eu particularmente, não entendendo. E as geléias. Você gosta de geléias de morango com torradas. E seu tênis azul fica marcado nas meias, como minhas meias ficam marcadas do meu tênis vermelho. E você come geléias de torrada com morango. Quer dizer... Ah, deixa pra lá. É tanta a minha euforia que nem sei mais ao certo o que dizer.
Preciso te falar: comprei um novo guarda-chuva, minha querida. Não terei mais que correr durante a chuva para resgatar minha fortaleza de secura. De qualquer forma, é inútil. Desde que começou essa época primaveril de chuva eu desisti de usar. Andar ao léu na chuva sem guarda-chuva é o que há de melhor. Junto com esse frio ensolarado que toma conta dos meus dias e dos meus que, por acaso, minha querida, você não tem mais onipresença neles.
Andrea, minha querida. Como eu te amei. Amei. Amo.
Podemos tomar chuva ao menos mais uma vez juntos? Caminhar sobre aquela areia fofa de praia que sua foto eternizou? Comer maçãs do amor até nos empanturrar e ficar com a boca azeda de tão doce? Fazer aquele passeio de carro, no transito, enquanto você ajeita seus cabelos no retrovisor do meu carro?Nos beijar acidentalmente como naquela primeira noite dos meus sonhos?
Nem toda a modificação do universo poderá tirar o sabor dos seus lábios da minha boca. Nem todas as mulheres do mundo podem tirar o suave toque dos seus cabelos por entre os meus dedos. Nem toda a cegueira me fará esquecer seus olhos brilhantes e faiscantes de tão azuis, na qual é extremamente fácil de se perder.Ninguém poderá tirar a sua voz dos meus ouvidos. Sua voz foi feita para que eles a pudessem admirar, minha querida.
Mas era um sonho que já sonhei.
Andrea, perdoe-me por me deixar dormir em seu apartamento naquela noite. Estava sendo frustrante sobreviver sob os mesmos erros a toda ora. Os mesmos erros, as mesmas conversas, as mesmas palhaçadas, as mesmas discussões, o mesmo choro sofrido de raiva. As mesmas bebidas de leite. O mesmo banheiro imundo.De qualquer forma, sei que fora a única pessoa que me deu alguma atenção. Agradeço eternamente por isso.Alias, agradeço por me deixar desabafar com você sobre você, sem você imaginar que fosse você.
Obrigado Andrea
Adeus

Andrea 5

Andrea. Te odeio.
Não é mais uma mentira sem fim, Andrea. Assumo meu amor a ti e a ti confesso meu ódio por ti. Parece redundante e oposto, mas não é. Amei-te pelas tuas meias, seus sorrisos, seus olhos, seus cabelos, sua pele e mais alguma coisa que não me lembro. Odeio-te pelos teus gestos, seus gostos, sua ironia, seu macabro amor a qualquer um que cruza seu caminho, sua confiança a mim e alguma coisa que não possa ou não queira lembrar.
Odeio o fato de tanto suportar falar e odeio-me por ter de sobreviver aturando suas falsas lagrimas de amor desfeito, refeito, malfeito e feito. Eu demorei vinte anos até encontrar a verdadeira amada. E você encontra o seu verdadeiro amado a cada esquina. Céus, como estou repetitivo! Mas é só porque você é repetitiva, amiga-amante. Pronto, crio agora um titulo pra você! Amiga-amante. Amiga minha, Amante de todos os outros. Você é tão crua que posso até te delimitar em algumas palavras. Não é como todos os outros humanos, indefiníveis com relação a adjetivos.Você conseguiu.
Sabe quando despertou essa revolta em mim? Sabe?Desde quando desceu por aquela porcaria de escada do cursinho. Que, por acaso, não mais freqüenta. Faz um mês que não a vejo naquela droga de escada, que só serviu pra tirar meu sono a noite. Escada, frio, Andrea e sono. Combinação maldita. Te odeio
Te odeio.Como te odeio.
Amiga-amante. Desfrute da tua gloria social com seu sorriso a todos e suas lagrimas a mim. Porque todos desfrutam de seus sorrisos. Foi assim que conseguiu me atrair.
Sabe quando alimentou meu ódio, Andrea? Sabe?Quando reproduziu minhas palavras seguras de boa honestidade ou de ma interpelação, aparentemente ingênua. Sei, não sou dono de todas as minhas frases, que tens o mesmo prazer literário que eu, o mesmo pensamento sobre torradas com geléia de morango ou o mesmo idioma. Eu podia me gabar, em tese, mas foi naquele segundo que percebi o quão sugado venho sido.
Amiga-amante. Desfrute de sua glória social com minhas falas e minhas lagrimas que em silencio são derramadas. Meu choro puro que demorou poucos anos para surgir. Desfrute do meu amor que nunca mais terás odiável-querida, amiga-amante. Como diz Drummond (detesto reproduzir frases alheias a mim, pois de alguma forma não me sinto digno de reproduzi-las. Pena que não pense o mesmo.) “o meu ódio é o melhor de mim”, ou algo que o valha. Pense bem, você tem o meu melhor e o meu pior. Tens a minha chuva de lagrimas, minha dádiva de sorrisos, meus dedos alérgicos. Alias, teve. Não mais os tem.
Quer saber de uma coisa?Caralho, você é a primeira que eu escrevo cartas, a primeira a querer ser minha amiga (amante dos outros hehe), a primeira a ter meus olhos mareados e minhas brilhosas e escuras pupilas.Pode conferir, na minha primeira carta, que você nunca recebeu, o quão detestável ser eu sou. Nunca falo de mim nas cartas, pois sou tão medíocre que sequer mereço atenção. E por isso te odeio pelo fato de estar certa co relação a mim. Não lhe mereço, não mereço atenção. Mesmo você tentando me dar alguma. Não mereço uma foto ao teu lado como um idiota qualquer numa avenida sem fim onde pombas, carros, pessoas e folhas passam sem serem notados. Nem podemos, futuramente, nos deitar na grama fria e seca de algum lugar qualquer e rir das nossas fotos, porque nem isso temos.
Consegue imaginar esse dia? O dia em que nós nos reencontraríamos e estivermos longe dessa nossa situação atual que tanto me aflige e tanto lhe agrada, Andrea. Eu queria poder, mas meu futuro é tão negro quanto uma noite de sono mal dormida que já é de praxe eu presenciar.
Só pra reafirmar Andrea, te amo te odeio.Até a próxima e ultima.Carlo.

Andrea 4

Boa noite Andrea
Andrea
Esses dias de frio apenas aumentam a minha temperatura. Estou com febre. Estou doente a ponto de ir ao medico. Sabe que eu detesto medico, minha querida. Sabe disso.Ainda não faz o tempo chuvoso que tanto prezo. Apenas as poucas lágrimas duras que seqüelam meus olhos escorrem por entre as florestas do meu rosto. Apenas meus cabelos maltratados pairam sobre o céu da minha cabeça, definhando todos os meus sonhos importunos.E você está em todos eles minha querida.Não quero mais sonhos, Andrea. Eu sei que ao fechar meus olhos você vai descer as escadas como naquele nosso primeiro encontro, forçosamente forjado por mim. Eu sei que, ao fechar meus olhos, a taça escorregara por entre seus belos dedos que eu segurei naquela mesma noite. Eu sei que, se abrir meus olhos, haverá mais escuridão do que quando os fecho.Devo-lhe desculpas Andrea, novamente, pelos seus dedos. Arrependo-me tanto. Podes não acreditar em minhas palavras, mas quase que não durmo aquela noite. Não era minha intenção machucar sua mão com aqueles cacos de cristal. De qualquer forma, pode não ter tido importância para você. Mas insisto em dizer: quase que não durmo aquela noite. Por dois motivos muitos simples:Não sei se me conhece a tal ponto, mas, acredite, sou um poço de arrependimento. Passo dias remoendo fatos, tentando me perdoar por algo errado, ou que meramente julgo errado, que fiz. A verdade é que eu fui um afobado, um descontrolado. Um completo imbecil por ter te machucado. Você diz que não houve zanga, minha querida, mas teus olhos não mentem por você. Seu silencio também não é um bem convincente. O seu silencio e o seu olhar foram na verdade o primeiro motivo da minha insônia.Mas eu me contradigo novamente. Não só a culpa de te ferir, mas o toque de teu existir.O segundo motivo foi por eu ter segurado sua mão entre as minhas. Suas mãos rosadas de belos dedos. O toque macio daquele membro gelado. O sangue vermelho estocado sobre o machucado daquela maldita taça que ousou te ferir.Por minha causa.AndreaFoi ao tocar sua mão que tive a certeza que te amava.Foi ao receber o seu olhar gélido que tive a certeza que me detestavaAndreaNão sentiras minha falta quando eu partir, que não tardara.Não sentirei sua falta quando partir. Carrego-te comigo em todos os momentosAndreaEscrevendo seu nome pela sexta vez nesta carta, meu olho lacrimejaram a tal ponto que nãopude me controlar. Não por você. Não por mim.Mas por essa situação triste que um alegre final não terá.Apagarei as luzes mais uma vez. Você vai surgir sorrindo e convidativa. A espera do embalo de mais uma canção que você vai escolher.Podemos fazer um trato?Escolhe a canção e eu escolho a emoção? Escolhe a aventura que eu escolho a temperatura? Escolhe a luz e então me seduz? Escolhe o dia e eu me encho de alegria? Você desconsidera meus últimos erros e eu ínsito no desejo?
CHEGA! Quanto disparate estou dizendo!
Se bem que eu tenho certeza que, só seria disparate, se você lesse ao menos uma linha desta carta.E eu sei, nunca leras.
Boa noite Andrea
Carlo

Andrea 3

Sobre Andrea
Você pode não entender muito bem meus sentimentos sobre a Andrea. Querendo ou não, nem mesmo eu entendo, meu colega. Espero poder entende-la um dia.Ou até mesmo me entender.

Andrea 2

De novo, Andrea
É sempre assim.Já percebeu que toda vez que te vejo Andrea, chove? Não? Comece a perceber.Hoje foi aquela tempestade, onde o meu guarda-chuva saiu voando de novo. Sabe, ele adora fazer isso comigo, me abandonar no meio da tempestade, e torcer. Eu só queria que você estivesse lá comigo, pra me ajudar a pega-lo, mas é pedir muito. Sei que você ainda não percebeu o que eu realmente quero contigo. Sei que você conversa comigo por educação. Sei que você nunca vai estar comigo a pegar o guarda-chuva quando ele voar.Você nunca vai ser minha pessoa amada, Andrea.Eu queria te dar um pouco de geléia de morango com torradas. Talvez você não goste, não sei ainda, mas eu sei que o café você prefere puro e sem creme. Eu percebi. Aliás, eu te segui durante várias noites. Marquei seus horários, consultei seu nome, descobri sua posição de matrícula do cursinho.Eu fiz tudo por você Andrea.E agora fui longe demais pra desistir de você.Eu posso ver a cor das suas meias quando você as tira. Seus tênis são iguais aos meus, impregnam suas cores em nossas meias. Não quero ser o seu lavador de meias nem o aliciador de seus pés, mas eu tenho uma curiosidade enorme em ver como você tira o sapato e como você anda pela casa. O modo como você se despe. Não, eu não sou nenhum tarado de plantão, mas imagino a maneira graciosa que suas roupas são espalhadas pela cama.Quer saber de uma coisa? Eu não vou tentar te esquecer porcaria nenhuma. Nesses últimos dias que passei ao seu lado, te ouvindo calmamente, eu estava berrando por dentro. Eu aclamava por fora. Eu ria. Eu gritava. Eu chorava. Eu morria por dentro. Você não deve ter percebido, assim como não percebeu que só nos encontramos nos dias de chuva.A chuva era no meu rosto. E tinha o leve gosto de lágrimas.Leve gostinho amargo das lágrimas que você não viu.Estava ocupada pra ver. Mas não estava tirando as meias.Sabe, eu fiz várias coisas sem perceber. Sabe a música? Sim, aquela primeira música. Se você pedir as propriedades do documento, vai ver um pequeno comentário. Eu escrevi lá porque sabia que você nunca ia ver. Mas eu prefiro assim. Que você não saiba, que você não sofra, que você não morra. Que você não coma geléia de morango com as torradas. Pode ser que você nunca as coma, ou que coma todo dia, mas isso é algo que talvez eu nunca descubra, ou descubra amanhã. Depende de nós. Aliás, de mim. Basta eu fazer uma misera pergunta.Céus, por que é tão difícil fazer uma pergunta? Talvez porque essa pergunta seja tantas embutidas. Aliás, quantos milhares de sentidos podem ter em “você gosta de geléia de morango com torradas?”? Somente milhares! E o único sentido talvez nunca seja captado. Mas, Andrea, não me peça maiores explicações. Nunca vai me pedir também, eu sei, mas é sempre bom que eu possa pedir.Eu cansei de mentir. Eu cansei de chorar. Eu cansei de espernear. Eu cansei de tomar iogurte de salada de frutas. Principalmente daqueles de pozinho, que você deve misturar no leite. Eu cansei de tudo. Mas não consigo me cansar de cansar de você. Eu me canso de você todo momento. E mesmo assim você me reconquista a cada fração de segundo que existe nesse relógio maluco que se chama coração.Está desregulado.Está atrasado.Está muito adiantado.Está sem pilhas.Preciso de ajuste.Preciso de açude.Preciso de você.Preciso chover.Preciso comer.Preciso amar.Amar é me desregular.Está desregulado. Está atrasado. Está muito adiantado...E você ainda não tirou os tênis. Por favor, não os tire. Seria demais pra mim. Não quero ter como visão essa perfeição de ver você tirando os tênis. Suas meias. Suas roupas se espalhando lentamente pela cama. Não, eu não sou tarado, já disse. Aliás, estou sendo um bocado repetitivo, não?Aliás, você nunca vai ler isto, Andrea. Simplesmente porque eu nunca vou enviar.Então aqui vai o que eu realmente preciso dizer.Eu preciso de você. Você, como eu disse a minha amiga Iluminada, é o raio de sol que brilha durante a noite. Você brilhou nos meus sonhos. Nos meus passos. Nos meus desejos. Você. Você. Você. Você é a droga mais viciante que eu poderia usar. Mais do que suco de caju, muito mais.Tem mais mil coisas que eu poderia dizer, Andrea. Mil coisas. Mas acho quesó o que eu disse já está mais que suficiente. Talvez um dia, você me diga espontaneamente se come torradas de geléia de morango, se suas meias mancham, se você larga as roupas na cama, se você leu o meu pequeno comentário naquela musica. E responder a ele, sinceramente.De novo, Andrea, conseguiu me arrancar do sono.Não falo mais nada. Vou me silenciar e não mais me viciar.Não mais do que já estou.

Andrea

Busca
É possível acreditar em vilões naturais que se transformam em delicados sofredores. Claro que não, não existem vilões.Carlo buscava lábios que esquentassem os seus. Buscava um coração que acariciasse o seu. Por isso, Carlo criou vários amores, vários romances. E buscou em vários rostos os lábios que esquentassem os seus. Os corações que acariciassem. O sexo que lhe abraçasse.Enfim, Carlo era solitário e fingidor.Nunca havia amado ao certo ninguém. Nunca sequer havia derramado uma lágrima por alguma alma viva. Era frio por dentro. Era frio por fora. Era frio.Não pensem, porém, que era má pessoa. Contribuía com seu respeito e atenção àqueles que, de alguma forma, lhe agradavam.Tantas vezes fingiu a namorada seu paradeiro. Era inevitável, saiu-lhe de sua boca, transbordando, sem que lhe fosse pensado. E tudo que mentia soava razoável, enquanto a mente fugaz encontrava pontos onde suas mentiras podiam romper. Porém nunca encontrava. Mas essa não é a história das mentiras de Carlo.É a história do amor de Carlo.Mas também é necessário informar sobre as mentiras, deve estar pensando. Claro que é. Quer saber mais? Se eu não tivesse lhe dito das mentiras, você não entenderia o real motivo da história ser triste. Claro porquê é uma historia, das mais triste que já contei. É triste porque é real.Continuaremos as mentiras, depois prosseguirei para o amor.Carlo já fingiu chorar ao telefone com sua namorada. E assim que desligava, após longas horas chorando, levantava o rosto como se nada havia acontecido, e soltava aquela risada, cuja reverberação soava no coração de paredes sombrias que pertencia a Carlo. Mas não era porque queria, era apenas um instinto.Já fora muito maltratado no “amor”, mesmo que o fingido.A primeira garota amada se fora. A segunda garota virara-lhe o rosto. A terceira ficara com seu melhor amigo na sua frente. A quarta terminou porque descobriu que amava garotas. Fora o cumulo. Naquela pequena mente sombria e perversa surgia os detalhes de um novo plano de sedução, enquanto suas mentiras continuavam a surgir.Havia acabado de terminar com uma das garotas com a qual estava, pois outra já lhe enchia de vontade. Nem terminara de almoçar e já pedia a sobremesa. Não que fosse apressado, mas sempre que buscava o melhor.Sempre se corrompendo mais.Foi quando surgiu.Descia levemente as escadas, como se flutuasse. Era apenas um brilho prateado que vendava os olhos de Carlo, desejoso de alguém que lhe aquecesse os lábios. Mas o brilho passou direto e foi-se. Carlo sentiu suas pernas tremerem. Sua voz falhou. Seus olhos se dilataram e sua mente se clareou.Alguém havia lhe acariciado o coração. Coisa jamais feita.Não tinha mais que a sua altura. Tinha os cabelos louros e os olhos claros. Sua pele era clara como o olhar direto pro sol. Não era comum, não podia ser comum. Era mais que comum.Quando fora embora, os olhos lacrimejaram, de um ardor tão grande que não podia se imaginar. Aquilo havia iludido o pobre Carlo de tal forma que não agüentava mais em pé.Assim, chegara em casa, na quarta-feira chuvosa, onde se deitara pensando no brilho. Sonhara com o brilho. Acordara pensando no brilho.Mas o brilho não estava lá.Quinta-feira fazia algum frio. A chuva não tinha feito estrago nenhum. Mas o coração acariciado parecia destruído tamanha quantidade de coisas que lhe revestia as paredes. A reverberação do som era mais alegre, mais explicita. Mais juvenil. Ele voltara a viver. E se sentia amar pela primeira vez.Pode parecer: ‘que estúpida história, gosta de alguém que nem sequer sabe o nome’. Ai que tu se engana.Carlo conhecia a figura. Freqüentava os mesmo bares e as mesmas livrarias que o brilho. Mesmo que o brilho não se desse conta disso Carlo sabia até o nome do brilho. Andrea.Mas Carlo não fazia idéia se Andrea o conhecia também.Enfim, Carlo, naquela quinta-feira triste decidiu falar com Andrea. Sabia que encontraria no cursinho, ao passar por aquele longo corredor de paredes frias, cujas janelas estava sempre fechadas. Porém, Andrea teria prova, e Carlo ouviu ao passar pelo corredor, tentando ver novamente o brilho. Assim, Andrea estava com muitos colegas de classe envolta. Mas Carlo passou umas seis vezes pelo lugar onde ela estava.Sexta-Feira. Haveria uma festa onde os dois foram convidados. Caro esperava encontrar. Mas Andrea, com muitas faltas no cursinho, não comparecera.Passa-se o fim de semana com a angustia crescente no peito de Carlo.‘Segunda é o dia’, pensou. E foi.À noite, quando Carlo chegava, Andrea descia as mesmas escadas. Sem companhia alguma.Carlo ia passar direto, mas os lábios o puxaram na direção de Andrea. Perguntou porque não comparecera na festa. Sua resposta foi um sorriso aberto que encheu os olhos de Carlo de lágrimas. Mas as palavras daquela boca transbordaram belamente, fazendo surgir o som. Amigos não iriam, estouro de faltas no cursinho.Carlo tinha de estender o assunto. Disse que não fora legal, se tratando de uma festa promovida pelo Al, amigo comum de ambos. A festa fora uma porcaria porque Andrea não estava.Perguntou, então, a qual carreira queria Andrea seguir, para estar no cursinho. Outro sorriso, uma levantada de pé. Movimentos belos da boca soltaram as palavras. Exatas!Carlo percebeu que Andrea não se sentia tão a vontade, então se despediu do brilho e subiu as escadas, enquanto Andrea descia as outras.A afobação fora tanta que não parava de tremer durante a noite toda. Sentia-se quente. Sentia-se feliz. Ele se sentia tocado. Mas não falara o que queria para Andrea.Naquela mesma noite, Carlo, na frente de seu computador, encontrara Andrea no famoso site de relacionamentos. Não resistiu e convidou-lhe a participar da sua rede. ‘Que idiota. Enfiar o orkut no meio da história’ Era necessário.Seus gostos eram bem semelhantes. Suas mãos tremiam freneticamente ao ritmo imaginário do som da biblioteca de papéis no peito de Carlo.Porém, terça-feira que destruiu o belo sonho dentro dele.Sentia-se alegre. Sentia-se bem. Sabia que a veria novamente no cursinho à noite. Mas como era junho, não lembrava que as férias chegariam tão rápida e violentamente. Por conseqüência, Andrea não fora.Isso fez Carlo vagar pensando. Quando decidiu verificar seu correio eletrônico na própria escola. ‘Claro, está aceito. Até mais ver’Foi seco. Foi duro. Foi impactante. Foi o fim pra ele.A ingenuidade e a sagacidade de interpretação de expressões fazia Carlo realmente acreditar que Andrea correspondia a seu flerte. A resposta fora totalmente rude e seca.No caminho para casa, Carlo chorava como criança. Os sons na sua orelha reboavam nas telas de vidro de seu coração quase despedaçado. Um colega, entendendo o fato, dissera para ter calma e ir devagar, pois Andrea pode realmente corresponder. Era o que precisava ouvir, mas a questão é que Carlo acreditava cegamente que Andrea iria corresponder bem diretamente. Mas não foi o que aconteceu.Na chuva, sem agasalho e solitário, Carlo descia a alameda onde todas as noites caminhava até chegar em sua casa. Tivera seu primeiro ataque nervoso em anos. Tivera isso algumas vezes na infância, mas não acontecia como aconteceu.Carlo ria e chorava ao mesmo tempo. Os fones de ouvido ressoavam uma musica de influencia hipnótica sobre o ouvinte. Aquilo tomou conta dele de tal forma que os joelhos cederam no meio do aguaceiro que a chuva causava. Era triste e sofrido. ‘Claro, está aceito. Até mais ver’. Como assim?E os meus lábios aquecidos? E o meu coração acariciado? E o meu corpo agitado?Não agüentando mais rir e chorar, Carlo se largou no chão, e por lá ficou uns dez minutos, rindo e chorando feito um louco qualquer.Como disse, essa é a historia mais triste que já contei na minha vida. Você deve pensar: ’que história mais ridícula, foi só uma frase idiota’. Mas a questão é: o coração do homem inabalável fora transformado e arrasado pelo brilho prateado que desce as escadas. Porque suas mentiras não fariam efeito em Andrea, que nem deve saber que Carlo existe, pra ser exato. Não te afeta, saber que o homem mentiroso, sedutor e frio foi atingido tão violenta e bruscamente?Pois é, essa é a historia mais triste que já contei na vida.Porque meu nome é Carlo. E hoje ainda é Terça-feira chuvosa.

quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

Jolene

Jolene,Jolene,Jolene,Jolene;
Eu imploro a você, por favor não me tome o meu homem;
Jolene,Jolene,Jolene,Jolene;
Por favor não o leve, mesmo que você possa;
Sua beleza é incomparavel;
Com os cachos flamejantes de seus cabelos ruivos;
Com sua pele de marfim e com seus olhos verde-esmeralda;
Seu sorriso é como o suspiro da primavera,
sua voz é macia como uma chuva de verão;
Eu não posso competir com você,Jolene;
E ele fala em você enquanto dorme;
E não há nada que eu possa fazer;
Para segurar minhas lágrimas quando ele chama por teu nome, Jolene;
Eu consigo facilmente compreender;
Como você pode facilmente tomar o meu homem;
Mas você não sabe o que ele significa pra mim, Jolene;
Você poderia escolher qualquer homem;
Mas eu nunca poderia amar novamente;
Ele é o unico homem para mim, Jolene;
E eu precisava ter essa conversa com você, Jolene;
Minha felicidade depende de você;
E o que voce decidir fazer, Jolene;

Jolene

jolene jolene jolene jolene
I'm begging of you, please don't take my man
jolene jolene jolene jolene
please don't take him just because you can
your beauty is beyond compare
with flaming locks of auburn hair
with ivory skin
eyes of emerald green
your smile is like a breath of spring
your voice is soft like a summer rain
I cannot compete with you jolene
he talks about you in his sleep
there is nothing I can do to keep
from crying when he calls your name, jolene
jolene jolene jolene jolene
I'm begging of you please don't take my man
jolene jolene jolene jolene
please don't take him even though you can
well I could easily understand
how you could easily take my man
but you don't know what he means to me jolene
you could have your choice of men
but I could never love again
he's the only one for me jolene
But I had to have this talk with you
my happiness depends on you
and whatever you decide to do jolene
jolene jolene jolene jolene
I'm begging of you please don't take my man
jolene jolene jolene jolene
please don't take him even though you can

terça-feira, 2 de dezembro de 2008

Ruim, mas normal

Vim aqui para escrever porque simplesmente não quero conversar com ninguém em específico agora. Não quero "despejar" as coisas ruins que estou sentindo agora em cima de ninguém, porque muitos não precisam disso e para quem precisa, eu não tenho coragem de falar. Decidi que voltarei a estudar inglês por minha conta mesmo, amanhã estarei na biblioteca para ver uma amiga e ja aproveito para começar a estudar, ja que em casa não consigo mesmo. Mas voltando ao assunto (meus sentimentos, hahahaha) enfim, eu realmente estou melhor que antes, mas não consigo deixar de ficar chateado com alguns. Na maior parte do tempo me sinto muito sozinho, não quero ser grudento, tenho controlado bastante meus impulsos ultimamente, mas mesmo assim eu não me sinto querido, digamos assim. A impressão que muitas vezes fica é que estou de passagem por ser o passatempo. Há alguns meses perguntei para uma pessoa: "Quais qualidades você gosta em mim?" e ouvi "A.... você é bonitinho"
Muitas vezes seguro o que quero falar por que penso que é o certo a fazer, na verdade acho um pouco infantil ficar dando indiretas, por isso enquanto eu não for capaz de ser direto e falar o que penso na hora certa, não falarei nada. Também sempre ignoro o que TODOS me dizem sobre isso. Sempre digo "eu sei, todos me falam isso" e concordo com o que dizem, porque se estivesse no lugar deles, diria o mesmo. Mas é difícil quando não está vendo do lado de fora da história. No fim das contas sei que dou mais valor para algumas pessoas do q essas para mim, mas isso é normal. Ruim, mas normal. Sempre me incentivaram a ir atrás do que quero, fazer o que gosto, dizer o que penso! Mas estou cansado de sempre correr atrás de Quem quero, de declarar o que sinto por que é como se eu estivesse correndo sozinho, sentindo sozinho, sem nenhum incentivo. Seria muito bom se esse alguém mostrasse interesse assim por mim. Mas não é bom contar com o inusitado.

sábado, 29 de novembro de 2008


Certas coisas precisam mesmo mudar?
Alias, tudo tem q mudar?

sexta-feira, 21 de novembro de 2008

Preso no meu casulo

Algumas vezes sinto tanto ódio de gente tão próxima... São todos tão hipócritas e egoístas, e quando vemos isso na nossa família por exemplo fica um pouco mais desesperador. Eu sei q não é o certo a fazer, mas eu ja entrei faz um bom tempo em uma rotina de brigas familiares q são seguidas por um longo "exílio" no meu quarto... E depois ouço "vc fica trancado no seu quarto! como vamos conversar assim?" e QM disse q eu quero conversar??? é por não querer olhar nem na cara que me tranco no meu quarto, quanto mais conversar! Assim é um pouco mais fácil, fingir q gente desagradável e sem argumentos não existe. Pena q não posso me fechar para todos os problemas.

quinta-feira, 20 de novembro de 2008

Diamonds in the sky


Não adianta... sempre continuaremos parecidos

quinta-feira, 13 de novembro de 2008

Esses são os pensamentos

Esses são os pensamentos que passam pela minha cabeça
No meu quarto em uma tarde de domingo
Quando eu tenho a casa só pra mim
E nao estou gastando toda minha energia brigando com quem eu amo
E são com elas que eu tenho que estar?
Porque é tão difícil ser objetivo comigo mesmo?
Porque eu me sinto tão celularmente sozinho?
Esperam mesmo que eu viva no meio dessa loucura?
Será que a tradição de negar a vida que é continuada cegamente,Induzida pelo medo de ser vencida?
Para onde vai o dinheiro que mando
Para aqueles que precisam?
Porque algumas pessoas não têm nada ainda?
Porque eu me sinto fora de mim quando acordo de manhã?
Porque você diz ser espiritual
E ainda trata pessoas como lixo?
Como você pode dizer que está perto de Deus
E ainda fala pelas minhas costas
Como se eu não fosse parte de você
Porque eu falo que estou bem
Quando é óbvio que não estou?
Porque é tão difícil te dizer o que eu quero?
Porque você não pode simplesmente ler minha mente?
Porque eu tenho medo de que quanto mais calmo eu esteja
Menos você vai me ouvir?
Porque eu me importo se você gosta ou não de mim?
Porque é tão difícil sentir raiva?
Porque é tão difícil ficar consciente
E tão fácil se deixar levar
E não o contrário?
Talvez eu me mude
Posso estar com alguém
Com quem eu sou um aprendiz e um mestre?
Porque sou encorajado a me calar
Quando estou tão próximo do que realmente quero falar?
Porque eu não consigo viver o momento?

quarta-feira, 12 de novembro de 2008

OK ! agora vou dividir, textos, músicas, links e o escanbal ficarão aqui no blog, "vida pessoal", no fotolog... beijosmemandaumsms hahaha


Don't let it burn, don't let it fade. =)
A vida é maior,
É maior do que você,
E você não está em mim
Os extremos que eu irei até
A distância em seus olhos.
Não, eu falei demais,
Eu puxei o assunto...
Aquele sou eu na esquina,
Aquele sou eu no centro das atenções,
Perdendo minha religião,
Tentando me igualar a você,
E eu não sei se eu consigo fazer isso....
Não, eu falei demais,
Eu não disse o suficiente.
Eu pensei ter ouvido você rindo,
Eu pensei ter ouvido você cantar,
Eu pensei ter visto você tentar...
Cada sussurro
De cada hora acordado,estou
Escolhendo minhas confissões,
Tentando ficar de olho em você,
Como um bobo magoado, perdido e cego.
Não, eu falei demais,
Eu puxei o assunto...
Considere isto (como)
A dica do século,
O deslize que me deixou
De joelhos, fracassado.
E o que aconteceria se todas essas fantasias
Chegassem se debatendo?
Agora eu falei demais...
Eu pensei ter ouvido você rindo,
Eu pensei ter ouvido você cantar,
Eu pensei ter visto você tentar...
Mas aquilo era apenas um sonho,
Aquilo era apenas um sonho...

terça-feira, 11 de novembro de 2008

Over the hills and far away


  1. Assuntos pendentes + pessoas irritadas = uma boa frustração.

  2. Desapego é uma coisa muito boa, pena q eu não tenho um bom domínio sobre isso hahaha

  3. Pensamento do dia: "Entropia define metade da minha vida"

  4. E como seus amigos podem mandar td de ruim pro espaço, agradeço aqueles q mais fazem isso por mim...

  5. Um ditado q mais tem significado para mim: "Se uma coisa acontece uma vez ela pode nunca mais acontecer, mas se acontece uma segunda vez, é pq com certeza haverá a terceira"

  6. E ... tive uma ótima noite. Estar onde vc qr com quem vc qr ajuda bastante.

Tudo isso nos leva em frente, não é?

domingo, 9 de novembro de 2008


Tchucooo malucooo

sábado, 8 de novembro de 2008

Quem, quem sou eu para entristecer?
Quem sou eu para me sentir sem vida?
Quem sou eu para me sentir esgotado?
E por que eu me sinto tão ingrato?
E aonde eu vou para me sentir bem?
Por que eu ainda procuro externamente?
Quando está claro que isso não funcionará
Eu que vejo a vida como uma ostra
Quem sou eu para entristecer?
Diante de minha família e sorte, diante dos meus amigos e saúde.

Sim, é tudo uma questão de ponto de vista


Sobre decapitar o Gato de Cheshire...

O ponto de vista do carrasco era que não se podia cortar uma cabeça que não estava presa a um corpo.Nunca fizera tal coisa antes e não iria começar a essa altura da sua vida.

O ponto de vista do Rei era que qualquer um que tivesse cabeça podia ser decapitado, e tudo o mais era disparate.

O ponto de vista da Rainha era que, se não resolvessem logo alguma coisa, ela mandaria executar todo mundo em volta.

Ontem foi um dia cansativo, bem cansativo.. tanto fisicamente como mentalmente.. mas acho q eu precisava dos dois. Estou com aquela sensação de que precisava "descarregar" e o dia foi uma válvula de escape. Masss estamos ai .. Aproveitei a noite para ver a Ester e ficamos até as 4 da manhã conversando. Resumindo, ela, a irmã dela e eu "acordamos" feito zumbis, o q completou minha canseira de ontem, mas td bem pq foi muito engraçado, sempre é alias. Eu acho q cheguei em um ponto q é incontestável o fato de q tenho q enfrentar os meus demônios, e os dos outros tmbm, claro. Mas as vezes penso "é melhor deixar as teias de aranha no armário, pq tira-las não é justo" mas sou impulsivo na maioria das vezes, e ajo muito por instinto, falo o q penso e sinto de uma maneira q as vezes me pergunto se não chego a ser um pouco vulgar. Ja melhorei muito nesse sentido, não de parar de falar o q sinto e blablabla, mas de escolher a hora para falar, pq se eu detesto incoveniência seria bem contraditório ser um puta de um incoveniente, falando o q penso em momentos errados. Por enquanto é isso.

sexta-feira, 7 de novembro de 2008

Cabeça cheia, muitas coisas, muitas coisas...

quarta-feira, 5 de novembro de 2008

(Minha super tatuagem, feita pela Gabi)
Mais um dia sem postar nada de útil, mas pelo menos está engraçado haha

segunda-feira, 3 de novembro de 2008


sorriam para a foto

São poucas as pessoas q nos fazem felizes...

Mas eu tenho total noção de quais são

domingo, 2 de novembro de 2008

quinta-feira, 30 de outubro de 2008


what do you need?

quarta-feira, 29 de outubro de 2008

"Pensar positivo"


Nessas últimas semanas andei bem aflito sobre como tenho vivido a vida,
e como venho sendo pessimista, preocupado, inseguro e dependente de tantas coisas e pessoas... Enfim eu sei que não foram só nas últimas semanas, tenho total consciência que faz bem mais tempo que isso, eu poderia dizer anos.
Para ser bem franco acredito que todos sejam, em proporções diferentes, lógico.
Mas o problema é quando passamos do limite (como tudo) e acabamos nos concentrando tanto em algo, que esquecemos do resto, e se o centro do nosso foco não vinga, quebramos a cara. Acredito que praticamente todas as pessoas sabem o que é isso, pode ser na mínima proporção, mas frustração é algo pelo que todos passam, seja se frustrando em um namoro, em um emprego, curso, objetivo de vida, família, amigos, enfim... várias possibilidades de dar errado, mas ao mesmo tempo outras inúmeras de dar certo.. e foi dessa última parte que esqueci
Pessimista por natureza? Pode até ser, mas prefiro que não. Algumas vezes sinto como se a culpa fosse minha, as pessoas falam "Hey! pare com sua sessão auto-piedade e pense positivo, do que adianta correr atrás das coisas esperando tudo cair por terra? é quase o mesmo que ficar esperando algo acontecer sem mover um dedo" eu concordo.. na verdade quando ouvia isso antes me parecia ofensivo, como se eu quisesse que coisas ruins acontecessem.
Agora analisando bem.. sem levar em consideração qualquer sentimento meu, era praticamente isso que eu estava fazendo. Não, eu não li o segredo, talvez pq quando me dei conta várias celebridades tinham escrito o seu (não acreditei quando vi em uma livraria "O Segredo, por Ana Maria Braga", nada contra mas... se é assim tmbm vou fazer o meu "O Segredo, por Rafael Sacristan" haha) enfim, fiquei só por dentro do documentário mesmo... e deixando bem claro, eu não estou tentando dizer que concordo plenamente, apesar de não discordar, o q estou dizendo é que para mim, do jeito q estava, não estava bem.
Mas pensar positivo as vezes me parece algo parecido com "estar se iludindo", tá, eu sei, pode parecer maluquice minha, ou só o fato de ser acomodado a ser um pessimista, pq a parte boa de ser um pessimista é dizer "ta vendo... eu disse" vc sente uma auto-piedade digna de um rei que fez de tudo para ganhar a guerra, mas que soube aceitar a derrota e a morte com honra, sem contar quando algo que vc insistia que daria errado, acontece muito bem, então sentimos como se tudo fosse possível... pq no fim das contas vc SABIA que td daria errado, e deu certo! "nossa cara sortudo eu, não?!"
Enfim, ser pessimista se tornou costume, mas as pessoas me fizeram parar com isso, parar com a bola de neve dos relacionamentos (termina um, começa outro e por ai vai... ) e parar de temer coisas, e dizer "mãeee não quero ser pobreeee, preciso ser bem sucedido"
As coisas não acontecem do exato modo que queremos pq elas acontecerão melhores... olha!!! um pensamento positivo!! haha, é questão de costume mesmo? Bom só espero não ser mais um frustrado q pensa positivo e quebra a cara... ops.. PENSAMENTO NEGATIVO DETECT!
policiamento constante

Linger

If you, if you could return,
don't let it burn, don't let it fade.
I'm sure I'm not being rude,
but it's just your attitude,
It's tearing me apart,
It's ruining everything.
I swore, I swore I would be true, and honey, so did you.
So why were you holding her hand?
Is that the way we stand?
Were you lying all the time?
Was it just a game to you?
But I'm in so deep.
You know I'm such a fool for you.
You got me wrapped around your finger, ah, ha, ha.
Do you have to let it linger?
Do you have to, do you have to,
Do you have to let it linger?
Oh, I thought the world of you.
I thought nothing could go wrong,
But I was wrong. I was wrong.
If you, if you could get by, trying not to lie,
Things wouldn't be so confused and I wouldn't feel so used,
But you always really knew,
I just wanna be with you.
But I'm in so deep.
You know I'm such a fool for you.
You got me wrapped around your finger, ah, ha, ha.
Do you have to let it linger?
Do you have to, do you have to,
Do you have to let it linger?

terça-feira, 28 de outubro de 2008

Você realmente irá me salvar?
Do exato modo que eles nunca me salvaram...?
Eu serei feliz?
Quando sua capacidade de cura se acabar?
Você realmente me completará?
Então minha vida pode finalmente começar
Eu serei merecedor?

sábado, 25 de outubro de 2008

Irmã inimiga


Você e eu somos feitos do mesmo tecido

Mas você e eu somos estranhos um para o outro

Porque você e eu: competitivos até os ossos

Você e eu, ligados até o fim

Curva


E lá na curva o que é que vem?

sexta-feira, 24 de outubro de 2008

Teardrop


Love, love is a verb, love is a doing word.

Teardrop on the fire.

Nostalgia


Quanto mais as coisas parecem mudar

Mais elas continuam as mesmas
Quanto mais você continua o mesmo

Mais eles parecem mudar
E isso não é estranho?

Filho imperfeito


Filho imperfeito, rumando para o oeste.

Filho desencantado, e esse avião não consegue voar rápido o bastante.

Filho desgarrado toca o solo, fugindo finalmente.

Eu lhes convidaria, mas estou ocupado demais sendo não-oprimido.

Toquei o solo, fugindo, embora eu não soubesse qual a direção.

Contente por ter ido embora, antes que os "não, querido, você não pode" tirassem o melhor de mim.

segunda-feira, 20 de outubro de 2008

Catarina


Gatos são inteligentes, bonitos, leais sem se tornarem efusivos... são, na minha opinião, os melhores animais
Conversa entre mim e Yane.... de como os pais podem f*** com a vida social dos filhos...

Depois da minha explicação, digamos assim, de como minha mãe é cruel ao ficar contabilizando todos os meus gastos... mesmo eu tendo um certa "independência financeira" ... É a vez de Yane chorar com os seguintes dizeres:

"Depois de trabalhar o mês todo igual a uma vaca, eu pergunto para minha mãe: Mãe posso ir à algum barzinho com o pessoal? Então ela começa: AAAAA CONNNNNTAAAAA DE TELEFON.......... e nessa hora eu ja me arrependo amargamente de ter começado o assunto e digo: Tudo bem mãe.. tudo bem... vida social para quê, não é mesmo?!! puffff ...eu adoro ficar enfiada dentro de casa TOMANDO A ÁGUA DA PIA mesmo..."

hahahahaha

sexta-feira, 17 de outubro de 2008

as regras de um relacionamento....

na verdade não são bem regras, acontece que são os "passos" dos relacionamentos que notamos, começamos a decorar e depois tentamos por em prática

1º Conversas que no início tem que ser intermináveis, daquelas de passar horas conversando mesmo... que é para compensar os outros dias que não terão o que falar

2º Começam a sair. Sair, sair e sair mais um pouco... programas de índio que também parecem lindos, e que de fato são haha

3º A fase das intimidades, criam apelidos e coisas sentimentais como PRECISAR mandar aquele sms

4º Na maioria das vezes é a hora que cai a ficha do "estamos namorando?"

5º A hora da "escova do amor", aquela em que vc simplesmente percebe que está deixando seus rastros nas vida do (a) namorado (a), como por exemplo a escova de dentes que comprou só para não precisar ficar levando a sua para cima e para baixo, ou quando percebe que aquelas chaves... NÃO SÃO AS SUAS! hahaha

6º ................ (quando eu souber, completo)

quinta-feira, 16 de outubro de 2008

Saudade


Como dissemos, foram 2 anos de crescimento humano, e tenho muita saudade de aprender mais lições com vcs

quarta-feira, 15 de outubro de 2008

Noite legal, para falar a verdade ótima
Sair é sempre bom, ainda mais quando bem acompanhado

terça-feira, 14 de outubro de 2008

Conversa

Conversamos durante o almoço, por que durante esse horário ninguém poderia interromper
Você disse: “Você parece estar precisando conversar, é o que todos que conversaram com você estão dizendo”
E eu disse "tentei parar de comer carne" e você falou "sim, você é altamente influenciado por eles. Não é?" e riu
Então saímos, estava ventando, mas muito sol e essa foi a deixa para você comentar que na luz do sol eu realmente chamava mais atenção, com os olhos faiscando de tão azuis, o rosto vermelho e o cabelo claro.
Você quis saber por quanto tempo eu era capaz de me lamentar e desfrutar da minha auto piedade, e eu sorri por que no fundo concordava com isso.
Então perguntou “Qual o problema? Sei que pode parecer clixê mas vai melhorar com tudo isso... e garoto... Sabe que melhorará em tudo, não só no romance bobo que teve” E eu me irritei um pouco por que não considerava bobo o que eu sentia e falei como se eu fosse corajoso “Eu gosto de não me importar em falar o que sinto, de não ter medo do que a maioria poderá pensar sobre isso, e você sabe que fui criado assim, sempre me incentivaram a falar tudo o que realmente sinto e penso”
Com isso ouvi mais risadas além de um “Calma, não precisa ficar assim, não se defenda de mim por que sabe que eu não te atacaria, está ainda mais vermelho agora”
Mais uma vez voltou a falar enquanto eu permaneci quieto “Cada um tem uma quantidade de maturidade necessária para o tamanho da sua vida, aposto que essa merda não necessitava de uma vida muito grande” e eu tremi e disse “Vai com calma, nem sempre conhecemos as pessoas pelo que dizem delas, e além do mais eu sei que estou crescendo” e Você disse “Por isso que vai crescer muito, por que sabe que precisa crescer e isso é uma das coisas que gosto em você”
Fiquei sem graça mas você não parou e disse “Sabe que é como é, e ainda será muito mais bonito e interessante do que é agora garoto”
Então fingi ter auto controle e soltei “ ouvi algo bem parecido” depois ri. Só esperava, eu esperava que nós pudéssemos desafiar um ao outro
Então eu perguntei “Acredita na pena de morte? Acredita em bem e mal?”
Você respondeu quase gargalhando “Sabe muito bem qual é a minha opinião Rafa”

Indiferente

Se eu não guardar o rancor, também não guardarei o amor
E é isso que torna o q sinto, ou senti, algo nulo...
Indiferente
Eu recomendo a todos deixarem alguém partir seus corações,
A dar um passo maior do que a perna, eu certamente faço isso.

segunda-feira, 13 de outubro de 2008

Essa é resumidamente minha "idéia de Deus"

Eu sou a bruxaria má que você inflige
Eu sou seu brilho e frustração
Eu sou as bombas nucleares se elas forem estourar
Eu sou sua imaturidade e indignidade
Eu sou seus desajustes e seu elogio
Eu sou sua dúvida e convicção
Eu sou sua caridade e seu estupro
Eu sou sua cobiça e expectativa
Eu os vejo desviando seus olhares
Eu os vejo apoiando a guerra
Eu os vejo ignorando seus filhos
E eu ainda os amo
Ainda os amo
Eu sou sua alegria e seu desgosto
Eu sou sua fúria e seu entusiasmo
Eu sou seu anseio e seu suor
Eu sou sua falta de fé e sua religião
Eu os vejo alterando a história
Eu os vejo abusando da terra
Eu vejo vocês e sua amnésia seletiva
E eu ainda os amo
Ainda os amo
Eu sou sua tragédia e sua fortuna
Eu sou sua crise e conforto
Eu sou seu profeta e seus lucros
Sou sua arte, sou seus bytes
Eu sou sua morte e sua decisões
Eu sou sua paixão e seu empenho
Eu sou sua doença e convalescença
Eu sou suas armas e sua luz
Eu os vejo guardando rancor
Eu os vejo matando
Eu os vejo silenciando suas irmãs
E eu ainda os amo
Ainda os amo
Eu os vejo mentir por seu país
Eu os vejo os forçando
Eu os vejo culpando um ao outro
E eu ainda os amo
Ainda os amo

Precoce, vc é

sábado, 11 de outubro de 2008

Há![2]

Dia muito agradável e tranquilo, que tal aquela sensação de renovação?
Que tal um dia em que você não sinta qualquer peso nos ombros. Quando me referi a "colocar td no lugar certo" estava querendo dizer isso, não acordar pensando em coisas q me deixam mal, e não levar o dia remoendo esses pensamentos, em vez disso "melhorar" o que tenho, tanto pq tenho coisas para fazer... E além disso, viver algo novo. Para mim, colocar td em ordem é isso, estar bem com o q esta acontecendo, e não colocar td em um suposto lugar certo. Já q se eu soubesse o lugar certo das coisas nada seria tão "interessante" (frase de conformismo q indica q estamos nos acostumando com o fato de não podermos mudar o presente para melhorar o futuro, e q consequentemente... aceitamos as coisas como são)
Mas voltando ao foco inicial (o dia tranquilo e bom) eu espero q continue :)

terça-feira, 7 de outubro de 2008

Há!!!

Até q enfim estou "colocando tudo no lugar certo"
sem mais por enquanto

segunda-feira, 6 de outubro de 2008

Mary Jane

Não é apenas falta de criatividade postar letras de músicas... mas é tmbm um carinho muito grande por cada uma delas...



O que há Mary Jane, teve um dia difícil?
Pois você colocou o sinal de "não perturbe" na porta
Perdeu o lugar na fila de novo, que pena
Você nunca mais pareceu querer dançar
É uma longa descida
Nesta montanha russa
O bonde da última chance saiu dos trilhos
E você estáva nele
Ouvi dizer que está contando carneirinhos novamente, Mary Jane
Qual a razão de não conseguir dormir?
Ouvi dizer que está perdendo peso de novo, Mary Jane
Já se perguntou para quem o está perdendo?
Você está na velocidade máxima, querida
E na direção errada
Há um pouco mais de mágoas
Se este é o caminho que você quer seguir
Por favor seja sincera Mary Jane
Você está feliz?
Por favor não censure suas lágrimas
Você é uma doce guerreira
E está em seu caminho
Você é a última grande inocente
E é por isso que eu te amo
Então aproveite este momento, Mary Jane, e seja mais egoísta
Não se preocupe com os carros que vão e vem
Tudo que importa, Mary Jane, é sua liberdade
Fique quente minha querida, fique seca
Me conte
Me conte
Qual o problema, Mary Jane?

domingo, 5 de outubro de 2008

Você é

Queimei os livros, tinham muitos nomes e psicoses
Essas provas acusadoras iriam me assombrar
Se alguém invadisse minha casa
Esperançoso, você é
Estudioso, você é
Ingênuo, você é
Determinado, você é
Quando perguntarem "Tem alguma coisa, qualquer coisa que você gostaria de saber?"Você diz "Sim, eu gostaria de saber com que tipo de pessoa estou lidando"
Precoce, você é
Obstinado, você é
Assustado, você é
À frente do seu tempo, você está
Jovial, você é
Divertido, você é
Insensível, você é
Precioso, você é

sábado, 4 de outubro de 2008

...


Essas preciosas ilusões em minha mente não me decepcionaram quando eu era indefeso

E renunciar à elas é como renunciar aos melhores amigos invisíveis.

sexta-feira, 3 de outubro de 2008

New

Yeah, is not new year, but is like

"Não vou mais fingir que sou capaz
Nem roubar seu tempo, mais.
E se não adiantar,sei que o que o tempo resolve em anos,
a aguardente resolve em horas.
E se suas palavras permanecerem, insistentemente,
nos braços de outra pessoa ouvirei sons que não são seus,
e enfim,te esquecerei."

Xter, tmbm me deu vontade.

ganhando


Perdedor é aquele que tem tanto medo de não vencer que nem ao menos tentar ganhar.
(Outra coisa muito clixê, mas que faz sentido)

quinta-feira, 2 de outubro de 2008

Hoje


Hoje foi um dia em que me dei conta que tudo o que eu preciso ja tenho (algumas coisas de uma forma indireta, mas tenho)

Realmente depois de passar metade de um dia fazendo teste para emprego, e o restante com as duas melhores pessoas possíveis para me animar eu estou bem

E para terminar o dia um bom banho e uma ligação de alguém muito legal foi uma boa.

Não me sinto confortável para escrever mais do que isso agora. E também, para ser sincero, nem estou afim.

terça-feira, 30 de setembro de 2008


E tudo isso vou tentar entender...

domingo, 28 de setembro de 2008

versões de vc mesmo

Acho engraçado como as pessoas podem ter tantas "versões de vc"
Cada um tem a sua, e tds nós temos as nossas sobre cada um.
Vcs ja pararam para perguntar a alguém como essa pessoa te definiria?
E depois juntar todas essas "definições", e achar a sua própria versão
Então depois de pensar nessas definições/versões "de mim", dou muita risada e as vezes me sinto até um pouco ofendido.. para dar uma idéia de como elas são diferentes.

última gota?

Eu ando quieto, não correspondo
Eu venho absorvendo, e adsorvendo também
Eu estou juntando, colecionando
Estou só acumulando
E algumas vezes sendo a válvula de escape
Esperando pela última gota, por um deslize
Eu venho pacientemente, e ansiosamente observando e imaginando
Como será se eu levar em consideração, alguma gota, como a última.

It's Ok if there's Ok.

It's OK if there's OK
Durante a Guerra de Secessão, quando as tropas voltavam para o quartel após uma batalha, escreviam numa placa enorme: '0 Killed" (zero mortos). Daí surgiu a sigla OK para indicar que está tudo bem.

sábado, 27 de setembro de 2008


Eu ando sentindo algo "diferente" nesses últimos dias, não sei do q posso chamar, talvez seja desapego simplesmente, que seja então.
O que interessa é o andamento da situação e o resultado.
O resultado, é claro, só saberei depois, mas o andamento começa a trazer "coisas boas"
E sabe, é bom escrever sobre algo agradável, novo e impreciso. Algumas pessoas simplesmente podem nos fazer felizes de uma tal forma q nem nós mesmos sabemos explicar (e isso elas fazem inconscientemente, então será que eu tmbm faço?!) e sei la! quero q esse "desapego" continue nessa proporção e intensidade, o suficiente para q eu não fique mais preso, mas que tmbm não transforme td em indiferença. As coisas mudam, as pessoas evoluem, não só com os seus erros, mas tmbm com os dos outros, e se soubermos aprender... aprenderemos com os 2 tipos. E o mais engraçado de td é se dar conta q td permanece em um certo equilíbrio, se de um lado da balança perdemos ou ganhamos, o outro lado compensará isso.
Estou começando só agora a perceber q algo está funcionando, e o quanto consigo ser clixê em um texto só!


You know I'm such a fool for you.

Bolo de chocolate

Bom, eu acordei bem melhor ontem (sexta), fui para a ETE numa boa... (até q enfim)
Hoje tmbm não acordei mal, até fui obrigado a lavar o carro *tapa na testa*
A questão é q.... "não tenho nada para fazer hoje, não to afim de ligar para ninguém tmbm para sair, só para uma pessoa, mas q por motivos óbvios não ligarei.." então me resta o pensamento gordo... "vou fazer um bolo de chocolate e mofar em casa"
Foi o q fiz, mas agorinha, quando acabei de fazer o bendito bolo q eu queria tanto comer à uns 3 dias já.... me bate aquela maldita sensação de solidão... o bolo e eu, na frente da tv, Deus que cena patética!
Que raiva, argh! Também não vou comer porcaria de bolo (ainda mais de chocolate) nenhum!
Que coisa, parece q o universo conspira para eu voltar a ser uma bolinha (e além de td uma bolinha com dor de cotovelo) NÃOOOOOOOOOO, não quero pensar em certas coisas, o problema é q eu não consigo tomar (no sentido amoroso) uma atitude para "resolver" o q sinto, q bloqueio do inferno! Então eu começo a ficar na utopia mesmo, é mais fácil. Então não quero ligar para meus amigos, não quero q eles me acordem desse "sonho"
Mas tmbm não quero me "afogar"nele ou nadar e nadar para morrer na praia (é esse o ditado?)
É, acho q vou comer o bolo... um pouco da tv... um pouco da utopia, e depois... dormir.
Amanhã farei um de laranja, chega de chocolate.

quinta-feira, 25 de setembro de 2008

Preso no acaso


É, passei a semana doente, semana maldita digasse de passagem... e para completar (como não passava a virose do demo) minha mãe trouxe soro para casa.... minha mãe.. técnica em enfermagem, eu branco desse jeito, e nada disso ajudou.. ela errou as 2 tentativas de "pegar minha veia" Então fico com os dois braços machucados... cheio de coisas para resolver, trabalhos e projeto, e meus professores e amigos querendo me matar! Lembrando tmbm q tenho q ficar preso em casa... de mau humor, carente, irritado, tudo! sem resolver nada e me sentindo um lixo

E mesmo com isso, eu não tenho o direito de chorar, pq se não sou emo, ou então tenho problemas psicológicos... AAAAAAAAAAAAAAAAAAA


Ai depois quando eu surto as pessoas me enchem o saco falando q sou depressivo...

e q além de depressivo eu fico pegando doença de pobre! (virose) ahahahaa


Danos colaterais, cada um com os seus.

terça-feira, 23 de setembro de 2008


A melhor coisa que Deus criou é haver todos os dias um novo dia

segunda-feira, 22 de setembro de 2008


Bom, quando começo a me sentir um ogro de mente gorda?


Quando chego em algum lugar acompanhado e vejo aqueles menininhos bonitinhos, de cabelinho arrumadinho, bem vestidos pedindo um croissant... e eu (td zoado)... grito um:


"QUERO UM HAMBURGUER COM BATATAS E MILKSHAKE!!!

(...)


(...) rs s/c

domingo, 21 de setembro de 2008

Trash 80


Há!


Esses eventos... eles vão me engolir!
pq não basta ser irmão, tem q participar!!!

sábado, 20 de setembro de 2008

http://br.youtube.com/watch?v=5moe336OPyY

Desastre social


Não sei se isso é normal, mas eu ultimamente tenho me sentido em uma crise de meia idade, aos 18... Parece meio ridículo e exagerado, mas quando paro para pensar como estou realmente me sentindo, chego a essa conclusão. Tenho vontade de "chutar uma pedra da vida" mas a pedra é grande e não quero me machucar, por isso permaneço inquieto, mas sem tomar atitude alguma. Eu não quero daqui a 10 anos estar em um emprego mediano, chegando em casa e tendo como "recepção" só os meus gatos se enrolando nas minhas pernas e um apartamento para limpar. Não que eu ache que isso seria deprimente, pelo menos eu teria independência financeira, mas de qualquer modo ainda não é o que quero. Não acho também que morar sozinho seja depressivo, na verdade estar sozinho não é o problema, muitas vezes é até a solução, mas se sentir sozinho... isso pelo menos para mim é horrível. Ultimamente não consigo me sentir completo e bem como antes, nem mesmo do lado dos amigos que eu realmente amo. Eu já não sou muito fã também dos eventos sociais... ontem mesmo tentei participar da festa de uma grande amiga, não deu muito certo, eu não conhecia quase ninguém e além disso eu não estava fisicamente bem mesmo... Sai de lá as 11 da noite num frio do caramba, sozinho. Nessas horas então minha crise parece alcançar a sua maior pontuação, e começo a remoer todos os últimos acontecimentos na minha cabeça, e não me conformo. As pessoas dizem que para essas coisas só o tempo dá jeito, e eu continuo me recusando a acreditar em coisas do tipo "se aconteceu era para acontecer e blablabla". E eu me sinto muito deslocado porque eu sinceramente não tenho muita paciência com a maioria das pessoas da minha idade... Os adolescentes se separam em grupos ridículos, um pior do que o outro. Tem o grupo das pessoas bonitas que acham q estão por cima e podem fazer o que quiserem sem medir as consequências, o grupo dos maloqueiros que acham que também estão por cima e se sentem no direito de encher o saco de todo o mundo, o grupo daquele tipo de menina efusiva e patética, que grita e que fica falando "axim" para ser notada por algum garoto, e o grupo dos nerds bobos que só falam idiotices com aqueles trejeitos irritantes... Tudo isso vira um círculo vicioso. Os bonitões e maloqueiros querem impressionar todos, as menininhas aparecidas querem ser notadas por algum ser humano q tenha calça, e os nerds bobos... bem eles querem ser notados por alguém... Agora eu me pergunto "para que eles precisam tanto dessa auto afirmação?" porque para mim tudo isso é falta de auto estima. Não que eu também não sinta nenhuma necessidade de auto afirmação, mas eu não vou ao extremo como eles, na verdade fico tranquilo de saber que não preciso ir nem até a metade. Só que eu também me perco com pessoas mais velhas, talvez seja simplesmente porque ainda me sinto (e sou) imaturo perto delas. Se bem que com certeza idade não é atestado de maturidade... Conheço cada ser idiotaaa que já tem seus 20 e poucos anos... e que muitas vezes são piores do que muitos adolescentes bobos. Na minha sala mesmo... estudo a noite e achei que eu não fosse encontrar gente assim la, e que se encontrasse seriam poucos, mas eu me enganei! Já perdi a conta de quantos marmanjos imaturos eu já conheci naquela ETE. Da para perceber que muitos deles eram provavelmente os nerds sempre zoados na época da escola, e agora por serem mais velhos e estarem em um curso técnico eles querem superar seus traumas mudando de grupo. Ai junta minha falta de vontade, a falta de paciência e minha diarreia verbal... e eu viro um desastre social. Pára ajudar meus relacionamentos amorosos tem sido patéticos, eu passo por cima do meu orgulho para nada (não que eu esteja colocando a culpa em alguém, tanto porque quem escolheu se submeter a isso fui eu mesmo) Enfim, nessas horas me sinto em um "diário de Brigjet Jones" chegando em casa e procurando alguma coisa no armário, mas sem fome...

Então eu me tranco no quarto para ouvir "you oughta know" e fingir que o que estou sentindo é raiva de tudo, porque a raiva ajuda a procurar outros caminhos mais rápidos, enquanto se vc se sentir triste, não vai sair do lugar. Mas não dá para substituir mágoa por raiva. Depois disso tudo eu fico fazendo planos, e tomo sim algumas atitudes para que eles dêem certo. Não ando acomodado igual à antes. Bom, com esse texto eu não quero dar a impressão de estar entrando em uma bola de neve que só vai parar quando eu estiver tomando anti-depressivos, simplesmente porque não é isso que vai acontecer, mas escrevendo eu desabafo, tudo bem que isso não trás resolução para os problemas, mas ajuda sim. Não quero dizer o que está escrito aqui para ninguém em particular, não sei se seria o correto. Um amigo meu me perguntou se eu não tinha vergonha de postar no blog, que ele não acha digno falar o que sentimos dessa maneira. Mas para mim o que não é digno é mentir para vc mesmo, isso não quer dizer que pretendo ficar só falando dos meus problemas sem agir, mas também não vou sair por ai falando que estou muito bem obrigado. Ainda não deixei me "estragarem" nesse sentido, ainda falo o que sinto.

quinta-feira, 18 de setembro de 2008

Hello tomorrow


Ouçam Yeah yeah yeahs


Quando você disser que longe é um lugar que não existe, se lembre também de me dizer onde é que você vai estar então.


Hello tomorrow

terça-feira, 16 de setembro de 2008

Gold lions

I just want to say:

Gold lions gonna tell me where the light is

domingo, 14 de setembro de 2008

Loucura


Por que todos nós sabemos, que sem um pouco de loucura, ninguém vive

Nada em troca


Eu darei toda a atenção possível para seus direitos adquiridos, se quiser.
Te darei coragem para escolher o caminho que quiser, se precisar.
Pode dizer, da sua raiva e dúvida, dos seus medos e loucuras que vou suportar.
Você pode dividir os incontáveis erros da sua vida e eu não vou te julgar.
Essa é única forma de amor que eu entendo que realmente exista
Por que você não me deve nada em troca, não pelo que eu sinto

Qual caminho?


-Você está indo em velocidade máxima, na direção contrária...

-Então qual caminho devo seguir?

Pausa


I declare a moratorium on things relationship

sábado, 13 de setembro de 2008

8 passos fáceis


Como ficar paralisado por medo de abandono
Como manter as pessoas próximas e nunca se aproximar demais
Como desconfiar daqueles que supostamente mais o amam
Como fingir que você está bem e não precisa da ajuda de ninguém
Como sentir-se inútil a menos que esteja servindo ou ajudando alguém
Como odiar os homens quando você deveria ser um machista
Como parecer piedoso quando, na verdade, você é um hipócrita
Como odiar a Deus apesar de rezar e ser um espiritualista
Como sabotar suas fantasias por medo de realizá-las
Eu tenho pesquisado por anos
Eu tenho praticado até cansar
Eu tenho esperado por este momento a minha vida toda, eu juro
Só para ser este líder bem versado diante de você
Como mentir para si mesmo e, conseqüentemente, para todo o mundo
Como se desligar feito um viciado para evitar ter que ir a fundo
Como ficar agarrado à tristeza, culpando os outros por tudo
Eu lhe ensinarei tudo isso em 8 passos fáceis
Um curso único que você jamais vai esquecer
Eu lhe mostrarei em 8 passos fáceis
Eu lhe mostrarei como ficam as lideranças quando ensinadas pelo melhor

sexta-feira, 12 de setembro de 2008

Coisas nerds... em uma sexta a noite

Vida começando a voltar para o lugar, me sentindo mais capaz, ou pelo menos na medida certa para começar...
Metabolismo ajudando (o q é uma coisa ótima)
Amigos que estão sempre fazendo você rir ao mesmo tempo em q te dão conselhos úteis...

Enfim, pelo menos a sensação de que tudo vai melhorar ajuda muito




*Ester e Sacristan no supermercado em uma sexta a noite*

Sacristan:
Ester, o q vamos levar para comer?!
Ester:
Sucrilhos! é claro, amamos sucrilhos....

Logo depois no caixa...
Ester olhando para o lado e dizendo:
Sacristan... pq os jovens do lado estão comprando bebidas.. e nós, SUCRILHOS!!! (em uma sexta a noite)
Sacristan:
Vai ver pq eles como jovens comuns estão querendo aproveitar a sexta a noite para ficarem bêbados na rua... e nós, bem nós queremos comer sucrilhos jogando video-game AHAHAHA (fazer o q se gostamos de coisas nerds?)

Montanha russa



Nós não conseguimos superar as coisas do dia para a noite, nem mesmo de uma semana para outra. Parece cruel, e não deixa de ser... mas como sabemos que de uma maneira ou de outra teremos que superar, que seja logo, por que esquecer é impossível.


O remédio é colocar tudo para fora, de uma vez, aos poucos, ou os dois!

Escolhi os dois!



1º dia é aquela montanha russa, você não consegue nem respirar, por que parece q não pára de doer, desabafa com o maior número de amigos verdadeiros possível (assim ouve todos dizerem as mesmas coisas e começa a acreditar em algumas delas, mesmo parecendo, e sendo, tão clixês)

2º dia além de não dormir bem, acorda com tudo aquilo martelando na sua cabeça, "normal, é recente demais" (eles dizem) mas o que sentimos é que será recente eternamente, quase um vício, e de verdade... uma vergonha, um orgulho atropelado.

3º dia.... idêntico ao 2º, mas você começa a mentir para si mesmo (eu estou bem, estou bem)

4º dia continua com a técnica "enganar a si mesmo é a solução" (até metade do dia, quando percebe que não precisa disso)

5º dia.... escreve no blog ahahaha

daí para frente (pelo que dizem) é questão de tempo.
E também de uma certa técnica chamada pensar positivo e não ficar parado esperando algo acontecer, que o que tinha para acontecer aconteceu... e eu fiquei só esperando


Quem sabe qual será a minha opinião daqui um tempo? ou a de outras pessoas? ninguém, nem nós mesmos. Por isso que superamos, ou não.