domingo, 14 de fevereiro de 2010

Wake up

Depois de algum tempo resolvi voltar a ter mais contato com meus amigos, não que eu tivesse deixado todos de lado, mas passei por uma fase turbulenta. Morar com outra pessoa não é assim tão fácil como pensamos no começo. Parece que eu estava anestesiado, só podia estar bem com alguém, e isso não está certo. Eu fazia tanta coisa antes, eu estudava tanto, me aplicava tanto. Continuo me aplicando no trabalho, mas cai tanto na rotina de só trabalhar e me preocupar com relacionamentos amorosos que na hora que vi, já era normal. Era normal trabalhar demais até ficar cansado para recusar sair, para não estudar tanto, para pensar que eu estava só trabalhando e nada a mais. Não me arrependo, é bom trabalhar, muito bom, eu já não sei se conseguiria só estudar. A pequena independência que tenho, já é muito importante para mim. Ok, voltei a estudar, e estou me sentindo tão bem com isso... Vou fazer 20 anos e eu precisava realmente me encaixar em algo. Planos, planos e planos, são tantos que as vezes tenho que parar só para organizar tudo na minha cabeça. Ainda acho que temos que tirar a lição do que acontece na nossa vida de uma maneira proveitosa o suficiente para entender que aquilo tinha que acontecer, e isso não é conformismo, é vontade de acertar mais. Não quero parecer velho e amargo com 19 anos, mas tem coisas que precisam mesmo de um intervalo. Essa história de “me machuquei demais, não quero quebrar a cara de novo”, mais cedo ou mais tarde atinge todo mundo. É, não quero quebrar a cara de novo, mas como todo mundo sabe, isso vai acontecer, e talvez seja com várias pessoas, ou várias vezes com uma mesma pessoa. Não sei, não sei. Como eu disse em um outro texto, é muito mais fácil apontarmos os erros, e eu quero continuar vendo as qualidades das pessoas que me chatearam, tanto porque eu sei que não me chatearam de propósito na maioria das vezes, assim como eu não magoei de propósito também. Eu só acho que tem acontecido coisas muito estranhas comigo, coincidências muito grandes, bem grandes. Expor essas coincidências agora seria arriscado, sempre é, mas talvez seja melhor “falar” disso daqui a algum tempo, quando o efeito tiver passado e eu puder me expressar com mais clareza. Eu não quero mais jogos, aqueles jogos de “quem vai ligar 1º?”, “quem vai ligar?”. Talvez seja melhor dessa vez não esperar o melhor, não porque sou pessimista, pelo contrário, quero muito que o melhor aconteça comigo! Mas lá vem aquela sensação de medo, do frio na barriga. Só em começar a fantasiar uma situação como sempre faço (como imagino que todos façam) fico com medo de ser feito de bobo. Não quero mais uma montanha russa de desentendimentos, eu quero algo tranqüilo. Vou ficar mais tranqüilo, continuar sendo ansioso e tão metódico não estão mais nos planos de 2010. Agora é só continuar correndo para os amigos, porque só com eles, só com essas poucas pessoas eu sempre fico bem, sempre estamos bem, temos uma cumplicidade grande e admiração um pelo outro. Essas são as pessoas que quero que me acompanhem por toda minha vida, e nessa semana vou dizer isso a cada uma delas. Pelo menos por enquanto, chega de relacionamentos pesados, não quero mais machucar ninguém.

Um comentário:

x.terr disse...

Nem sempre os amigos aceitam serem "io-iôs"! Então, não os abandone momentaneamente, pq como diz o Exupéry: "Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas."